7 Erros que as Pessoas de Sucesso Aprenderam a Não Cometer Novamente

O Sucesso é resultado de muito trabalho e portanto não cai do céu.

O Sucesso vem dos conhecimentos obtidos, das nossas experiências. Como somos humanos dentre nossas experiências também colecionamos erros, mas como se diz; se cometer erros é própria da nossa natureza, é também correto que aprender com eles já é uma qualidade que poucas pessoas desenvolvem e aprender com os erros dos outros economiza tempo e cria atalhos para se chegar ao sucesso.

Assim, temos que os erros não chegam a bloquear as pessoas bem-sucedidas pois elas sabem como tirar proveito mesmo das decisões que não ocorrem como se havia planejado. Pode-se dizer que tudo é uma experiência de vida.

A própria PNL, Programação Neurolinguística, nos ensina que não existem fracassos, mas sim resultados e, que se pode aprender com eles. Por outro lado, se estivemos bem centrados em produzir resultados com excelência, pressupõe que que iremos evitar que erros se repitam. As palavras de Bernard Shaw explicam bem a busca pelo sucesso: “As pessoas bem-sucedidas buscam cenário que querem, e caso não o achem, elas os criam.

VEJA OS 7 ERROS QUE AS PESSOAS DE SUCESSO APRENDERAM A NÃO COMETER.
 
Exemplo de imagem
1-RELACIONAR-SE COM PESSOAS QUE NADA CONTRIBUEM PARA O NOSSO SUCESSO

Quando se fala que devemos escolher muito bem com quem se relacionar em termos de maximizar nossos resultados em relação ao tempo dispendido com terceiros, não se pode esquecer a famosa frase de Jim Rohn, que pode ser escrita assim: "Você é a média das cinco pessoas com as quais gasta a maior parte do seu tempo". 

De forma implícita se conclui que existe relacionamento que vai impulsionar você para frente e que tem outros que vão arrastá-lo para baixo, tirar você do seu caminho para o sucesso. Pode até ser meio dolorido privar-se de pessoas interessantes, alegres, mas que em nada acrescentam para você, em termos profissionais. Claro que elas são importantes para suas horas de deleite, tempo que deve ser bem administrado para não se gastar com excesso de futilidades. 

Retornando à frase de Jim Rohn, é importante considerar as características das pessoas com as quais usamos nosso exíguo tempo, subtraindo assim nossa atenção de coisas mais importantes para as quais deveríamos estar focados. Isso também não quer dizer que vamos ficar selecionando as pessoas como fazemos quando estamos comprando frutas na feira; apenas pela aparência, pelo preço, por ser fruta da época, mas a verdade é que nosso dinheiro, “tempo” para ser gasto da feira da vida é bem certinho e precisamos ter cuidado nas escolhas para não levar frutas até belas por fora, mas com gosto ruim por dentro e cuja insistência em comer por já estarem “pagas”, no caso com tempo gasto, pode nos dar uma “congestão”, e desorganizar as metas da nossa busca pelo sucesso. 

2.GASTAR O TEMPO FAZENDO UM TRABALHO QUE NÃO CONSIGA DAR A ESPERADA SATISFAÇÃO PROFISSIONAL

Nós passamos a maior parte e nossa vida desperto dentro de uma empresa, fazendo determinado trabalho ou poderia ser até ser um negócio particular. Apesar de não estar totalmente satisfeito, a gente vai tocando em frente e quando menos se espera, percebemos que investimos quase uma vida nisso.
Agora pare e pense... se talvez seja necessário estar sempre se autoavaliando, analisando como investimos nosso tempo e analisar seriamente se o que estamos fazendo é exatamente algo que fazemos com amor. 
 
Sabemos que não é fácil, trocar de atividade, de emprego, especialmente com essa situação em que se encontra a nossa economia, com milhões de desempregrados. Observamos que as pessoas de sucesso fazem o que amam e, consequentemente faz bem, investindo o tempo num tipo de vida que lhe estimula sair da cama de manhã energizado para mais um dia de sucesso!

Como estou falando de motivo para sair da cama, vamos conhecer a palavra “Ikigai” que é um conceito japonês que significa "a razão de ser". 
 
Todo mundo, de acordo com os japoneses, tem um Ikigai. Encontrá-lo requer uma pesquisa profunda e muitas vezes demorado de si mesmo. Essa pesquisa é considerada como sendo muito importante, pois acredita-se que a descoberta do próprio Ikigai traz satisfação e sentido à vida. Encontrar o propósito de sua vida. 

O termo ikigai é composta de duas palavras: iki, referindo-se à vida, e kai, significa aproximadamente "a realização do que se espera e deseja".

Na cultura de Okinawa, ikigai é pensado como "um motivo para se levantar de manhã"; ou seja, um motivo para aproveitar a vida. (Wikipedia)

3.TOMAR DECISÃO COM INSEGURANÇA E COM MEDO

Determinadas emoções como dúvidas e medos fazem parte da nossa coleção. E como fazem parte da nossa vida, elas nos influenciam de forma positiva ou negativa quando na tomada de decisões. 
 
A dúvida é a uma situação de incerteza e que pode ser eliminada ou suavizada fazendo planejamento, estudando antecipadamente um problema antes de tomar uma decisão. Certeza total nunca se tem de coisa alguma, com exceção da morte. E na medida em que concentramos no problema, estudando-se os prós e contras das alternativas, isso que nós dá seguraça e o medo de as coisas não darem certo fica bem reduzido e adequadamente administrado. 

Ter medo é importante e contribui para nos manter vivos. Se não tivermos medo de cobras venenosas, e se aventurar em ser muito audacioso no envolvimento com esse réptil peçonhento podermos ser picados e morrer. Ser corajoso é uma coisa, cometer suicídio é outra. 

Quando se fala em tomada de decisão nos vem à cabeça aquelas grandes decisões que podem nortear nossa vida de forma profunda e se tomar a decisão indevida, podemos nos quebrar em todos os sentidos. Mas, se pensarmos bem, estamos a todos os instantes tomando decisões, pequenas decisões é certo, mas as pequenas consequências funcionam como uma bola de neve e podemos acabar gerar grande efeito na nossa vida quando bola começar a rolar montanha abaixo. 

Mas, convenhamos, decisões de pequena monta quase sempre nos apresenta de forma límpida, bem clara e muito raramente tamaremos o caminho errado. Agora, se ficamos postergando as pequenas decisões, vai chegar uma hora que a decisão a ser tomada exigirá um grande estudo e às vezes de dificil implementação. 

Heny Kissinger disse: “O sucesso resulta de cem pequenas coisas feitas de forma um pouco melhor. O insucesso, de cem pequenas coisas feitas de forma um pouco pior". Lembre-se um tijolo é um simples detalhe de um enorme prédio, mas se for acentado de forma inadequada, o prédio pode acabar ficando interditado. 
 
Tenha um caso real dessa situação. Fazia trabalho de consultoria para uma empresa de processamento de dados do Estado de São Paulo, no centro da cidade (São Paulo). Como estava com dificuldades em estacionar o meu carro, fui orientado para usar um “estacionamento” perto do meu trabalho onde tinha um prédio interditado. 
 
Percebia-se que ele já estava há um bom tempo parado pela sua aparência desleixada em termos de limpeza, mato, lixo acumulado, etc. Era alto, uns 10 andares. Com certa curiosidade perguntei qual o era o motivo de estar interditado. O “flanelinha” do estacionamento me levou na base do prédio e pediu para eu olhar para o alto, seguindo a parede do edifício. Fiquei estarrecido. 
 
Entre terceiro e quarto andar a tinha uma barriga de uns 30 a 40 cm. O guardador explicou; essa barriga avançou na área que estava planejada fazer outro prédio do conjunto que ficaria colado ao primeiro. Mas tudo acabou ficando parado para aguardar uma decisão jurídica entre o construtor e a firma de engenharia! 

Como se observa mesmo tendo um bom plano, o projeto do prédio, faltou gerenciamento, acompanhamento da obra.

4-APENAS TER SONHOS E NÃO TORNA-LOS REAIS

Todos nós devemos proteger nossos sonhos. A pessoa primeiro sonha com o sucesso por exemplo, e depois transforma-o num objetivo para torná-lo realidade. Essa é a ordem natural e sadia as coisas se bem que a motivação para fazer alguma coisa é que germina um sonho. 

Sonhos e realizações quando executados dão à vitória um gostinho melhor de prazer de uma sensação boa de dever cumprido consigo mesmo. 
Quanto as dificuldades, invejas, isso vai ocorrer normalmente em todas as novas empreitadas. São os chamados incidentes (acidentes?) de percurso.
Agora, cabe ao interessado, acreditar de verdade na realização do seu projeto, pois se você não investir muito trabalho, esforço para o seu sonho transformar em realidade, é possível que alguém o contrate para trabalhar para os deles. Lembrar que o medo é um ladrão de sonhos. 

Frase de Sigmund Freud: "O sonho é a realização disfarçada do desejo"
Segundo Jim Rohn, “Ou você diminui os sonhos ou aumenta suas habilidades. A escolha é sua”, mas acredito que a frase estaria perfeitamente correta se o sonhador chegasse a conclusão que teria de escolher uma das alternativas. Acredito que sempre é possível manter a meta inicial mesmo que ao longo da empreitada sentirmos que sonhamos fora muito alto. 

Então, poderíamos dizer que podemos mantê-lo com esforço adicional e dedicação ampliar a nossa habilidade e manter nosso sonho. E talvez nem seja preciso um esforço adicional. Um bom planejamento da forma como usamos o nosso tempo pode nos dar mais do que precisamos. 

A verdade é uma só, temos um sonho e devemos planejar para torná-lo realidade. Colocamos em prática e os normais ajustes que acabam sendo necessários sendo feitos e na medida que fazemos isso, vamos aperfeiçoando nossas habilidades, e atingiremos os nossos objetivos. 

Se acharmos à altura do desafio tocamos em frente, caso contrário devemos nos preparar antecipadamente, para não sermos desacreditados ante as pessoas que nos cercam e a nós mesmos. O que não se deve e ter sonhos e ao colocá-lo em prática, ele transformar logo e virar fogo de palha.
 
Às vezes somos levados a pensar quanto o mundo perde em função de muitas pessoas que não conseguem por algum motivo, viver na prática seus acalentados sonhos que fiquem dormente em suas cabeças. 
 
Um músico escondido dentro mente de uma pessoa, que não pode vir à tona, pois a pessoa tem que tocar burocraticamente sua vidinha no dia a dia dentro das quatro paredes de um escritório. Um garçom que não tem condições financeiras de desenvolver em estudos sobre culinária, postergando ad infinitum o seu sonho de chegar a ser um chefe de cozinha. Ou mesmo um arquiteto que não pode tirar do papel suas ideias de construir projetos mais humanos, com mais verde por estar atrelado aos interesses econômicos de rentabilidade da construtora. 

Apesar de todas as dificuldades, pode-se dizer que ainda resta condições de dar vida real aos nossos, realize. 
 
5. DESCUIDAR A DA SAÚDE DURANTE A BUSCA PELO SUCESSO

Nós podemos avaliar um profissional pela cuidado que ele tem pelas suas ferramentas. E o nosso corpo é a nossa caixa de ferramenta. 
 
Ferramentas mal cuidadas em péssimas condições de uso não conseguem dar conta do serviço. As pessoas bem-sucedidas cuidam da sua saúde com prioridade porque sabem que ela é uma das chaves para viver uma vida longa e feliz. 
As coisas que fazemos na vida deve ser feita com harmonia de outras.
Precisa existir uma harmonia entre a mente, espírito e o corpo físico. Para ter uma ideia da necessidade de se alimentar adequadamente, vamos ver uma das características do nosso cérebro: 

O cérebro humano consome a maior parte da energia total que é gerada no corpo. Para ser mais preciso, o cérebro consome 20% da energia do corpo mesmo correspondendo a apenas 2% do peso corporal total. Esse alto consumo de energia é vital para manter as células cerebrais saudáveis e alimentar impulsos nervosos. A energia que dispomos está armazenada nos músculos, no sangue e no fígado, na forma de glicogênio ou de glicose.
Como sempre alguém pode se desculpar de não ter tempo para praticar algum tipo de exercício físico, mas podemos fazê-los. Vejamos algumas dicas. 

-Não usar o elevador, ou usá-lo, digamos até o 5º, andar e subir pelas escadas os outros cinco restantes.
-Dispensar o carro para fazer pequenas compras em mercearias, padaria que estejam há algumas quadras da sua casa.
-De hora em hora, levantar-se cadeira (estando usando o computador), e dar umas espreguiçadas e movimentando a sua cabeça. Faça-a girar.
-Faça exercício usando a sua cadeira. Com as mãos das laterais da cadeira, junte as pernas, estique-as (paralela ao chão) e, fique nessa situação e conte, pausadamente de 1 a 10. Volte a posição normal e repita mais algumas vezes.
-Sentado na cadeira com a coluna reta, coloque uma bola entre os joelhos e a pressione e conta lentamente de 1 a 10 e relaxe. Repita algumas vezes.
-Sentado na cadeira com a coluna reta, entrelace os dedos, com as palmas das mãos voltadas para baixo, inspire, eleve os braços, o máximo que puder, volte expirando lentamente, volte a posição anterior. Repita algumas vezes. Faça ao mesmo movimento para a direita e para a esquerda.
-Sentado na cadeira, gire a cintura o máximo que puder para a esquerda, segure contando lentamente de 1 a 5. 
Em seguida, repita o movimento girando para a direita.
-Quando falar no telefone fique em pé.
Exercite a panturrilha. Estando em pé, tire os calcanhares do chão. Permanece nas pontas dos pés por alguns segundos
-Vá pessoalmente falar com o colega em vez de mandar um e-mail.
-Procure usar o banheiro do andar de cima e ir e voltar pelas escadas.
-Está na fila para tirar xerox? Aproveite esse tempinho e eleve-se na pontas dos pés. Mantenha por alguns segundos, retorne à posição normal e recomeço novamente.
 
Bem obviamente esses são alguns exemplos e você pode achar muito mais pesquisando na Internet. Como já dizia Jim Rhon, “mova-se, você não é árvore”.
 
6-FAZER O QUE GOSTA E DEIXAR FAZER O QUE DEVE SER FEITO

Não adianta fazer bem feito o que não deveria ser feito. Parece óbvio, mas pode-se deixar de escrever lembretes com canetas coloridas numa folha de papel ou imprimir listagens, e usar o post-it com o papel colorido e mantê-lo num quadro ou fazer como eu faço: coloco todos eles na porta da minha sala de trabalho (home office) e os leio antes de entrar e ligar o computador. 

Agora, antes de fazer algo bem feito ou não, é necessário separar o urgente do importante. 
 
Nem sempre o urgente precisa ser feito em primeiro lugar. Assim, mesmo fazendo o certo mas na ordem indevida poderá deixar de maximizar nossos esforços. O certo deve estar sincronizado com o importante e não necessariamente com o urgente. 

O profissional de sucesso quando seu subordinado comete uma falha ele conversa com o ele não para chamar sua atenção num tom punitivo, mas sim, aproveita a oportunidade para ouvir a versão do funcionário e verificar o que deu errado, para orientá-lo para não errar novamente. 
 
Essa técnica batizei de “O momento mágico do treinamento”. 
 
É a hora que se existe algo prático, real para ser discutido, orientado de forma treinar o funcionário para novo comportamento, mais cuidado, etc.

Os chefes menos preparados usam esse momento apenas para punir baseado na autoridade da sua posição hierárquica. Isso pode lhe parecer certo, mas o resultado é que se cria um clima de animosidade onde todos perdem, o funcionário que fica sem saber como deveria ter feito algo que deu errado e sai chateado. O chefe perde a chance de melhorar o conhecimento do empregado. A empresa que com certeza, vai arcar no futuro com mais um erro que poderá aumentar seus custos. 

7-INVENTAR A RODA, NÃO PROCURANDO CONHECER FORMAS QUE DERAM CERTO

Ninguém nasce sabendo o que vai fazer quando crescer. Nossa vida é uma sequência de aprendizagens que nos segue até o fim na nossa existência. Por outro lado, somente as pessoas mais acomodadas ficarão copiando ipsis litteris as ideias de terceiros. 
 
Muitas vezes começamos nossa vida, nosso comportamento, se modelando em alguém, mas com o tempo podemos passar a ter a nossa própria originalidade. Na PNL-Programação Neurolinguística isso é uma técnica que se chama de Modelagem, que usamos e podemos usar para qualquer habilidade ou comportamento que desejamos. 

Assim, o primeiro passo é decidir qual habilidade que se pretende modelar, então encontrar uma pessoa que chegou a um determinado resultado, em seguida descobrir a receita do seu sucesso, e depois repeti-lo para obtermos os mesmos resultados, que são do tipo que queremos, desde de que tenhamos os recursos necessários.

Por exemplo, John Lenon modelou-se em Elvis Presley, procurando repeti-lo nos mínimos detalhes, para conseguir fazer o que queria fazer quando estivesse nos palcos. E, isso não era simplesmente uma inveja, mas um modelo de algo que ele queria ser, tocando, falando, pensando como Elvis. Ele resumiu mais ou menos assim a sua busca pelo modelo “... de tanto imitar o Elvis, eu me tornei John Lenon...” 

Isso é um processo de aprendizado, nada tem a ver com a perda da personalidade de quem quer ser tão bom quanto o modelo-alvo, um sentimento de busca de desenvolvimento pessoal. 

Trata-se do que se chama de emulação, sentimento que leva o indivíduo a tentar igualar-se a ou superar outrem. Uma competição, disputa, concorrência (geralmente em sentido moralmente sadio, sem sentimentos baixos ou violência). Essa forma pode ser conseguida sem mágica, com muita perseverança, desenvolvendo a nossa resiliência. 

Ainda comentando sobre os sonhos, podemos dizer que nossa vida é como uma história recheada de sonhos. E são os sonhos de determinadas pessoas que construíram o mundo que temos hoje. Se hoje podemos voar foi porque o sonho de voar se manteve ao longo do tempo fervilhando na cabeças dos grandes homens e se empenharem em tornar realidade esse sonho da humanidade. 

Lembre-se: não fica adequado ter grandes sonhos e não conseguir torná-los realidade por ter uma vida medíocre, por isso cresça e procure chegar ao topo, pois a base está lotada. 

Vamos terminar esse item, com a citação de alguém muito importante que usou de forma inspiradora a palavra sonho, Martin Luther King Jr: “Eu tenho um sonho de que um dia meus quatro filhos vivam em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter.”
Escreva-se aqui e não perca nenhuma novidade!
Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades e receba agora mesmo Ebook GRATUITO sobre Resiliência